Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

sábado, 31 de dezembro de 2011

Um grande adeus!!! e um risonho seja bem vindo!!!

Naturalmente que vou saudar com muita alegria esse menino que está para nascer, daqui a pouquinho... E vou depositar nele muitas esperanças, vou me redobrar em cuidados para evitar os erros e ganhar as batalhas... E vou me cercar de amigos novos, sem abrir mão dos amigos que já caminham comigo... Vou amar muito e desejar ainda mais... E sim, já tenho planos e planos e planos... Projetos que vingarão e sonhos fadados a permanecerem sonhos... Atrás da porta já estão armazenados os itens imprescindíveis: a coragem, a esperança, a fé, o amor, a tolerância, a compaixão, o desapego... Já fiz estoque de sorrisos, de abraços, de pausas pra vadiar, de caminhos alternativos, até de alguns buracos na areia onde esconder a cabeça ocasionalmente... Já marquei com tinta invisível os esconderijos, construi o baú onde depositar tudo que não der certo, selecionei os quietos livros que ainda não conversaram comigo, e separei as caladas músicas e as intensas danças onde enlevar minha alma... Estou sim preparadíssima e, portanto, que venha 2012, para que eu o agarre à unha, para que eu o corteje e abrace, para que eu me refestele em vivê-lo cada pedacinho...
Mas... antes dessa festa do novo, daquele que vem vindo, vem vindo, está chegando, há uma despedida que não pode ser esquecida e assim...
Assim me despeço de um velho amigo, amigo que me trouxe amizades bonitas, que deu asas a alguns sonhos, que me permitiu experimentar tanto bem querer, tanta alegria... Que me deixou gastar meus sorrisos todos, que me manteve em pé quando o desmoronamento era certo... A esse ano querido, que me ensinou que o poder da fé suplanta a força do medo, que me mostrou como deixar que o riso rasgue a face do choro, que me instou a existir plenamente, todo meu respeito é pouco... Então 2011, o meu muito obrigada e a minha reverência... O meu abraço apertado e o meu olhar amadurecido pelos teus ensinamentos todos te acompanham, onde quer que você vá... Um grande adeus para um grande amigo.

Comente

Postar um comentário

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.