Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

domingo, 26 de junho de 2011

Sobre a vida

A escrita que me visita, o sonho que me seduz, os caminhos que não percorro, meus momentos de "quase morro", meu nada dentro de tudo, os meus sais e os meus escudos...
Viver é uma vaidade!!!
Atrás da tinta do meu cabelo, se escondem as rugas das suas dores; por entre as cores de seu esmalte rolam as lágrimas da minha noite...
Enquanto eu amanheço plena, iluminada e calorosa, voce anoitece fria, solitaria e muda...
Enquanto a gargalhada lhe sobe pela garganta, o descontentamento me desce pela goela...
Quando são seus os louros da vitória, é minha a amargura da derrota... Afinal, a vida não quer empate.
O meu momento de lazer é toda sua hora de espera, meu hoje é seu amanhã, suas memórias são a minha indiferença...
Sou seu reverso, e voce, voce é minha inversão...
Seguimos num compasso louco, desencontrado. Somos descaminhos, despropósitos... Somos aleatórios. Não rirei todos os dias e você não chorará todas as noites... O painel de contrários nos esculpe de uma forma que não compreendemos...
Depois de estar linda, ocasionalmente sofro. Depois de sofrer, voce invariavelmente estará linda...
Tecemos mosaicos de sobretons numa pretensa falta de sintonia... Porque somos opostos acreditamos não estar em sintonia e no entanto, é a falta de sintonia que nos completa. Juntos acabamos um todo onde os encaixes certos ocorrem...
Quando sou ontem voce é agora.
No fim, salvo raríssimas exceções, viver é uma vaidade...

Comente

Postar um comentário

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.