Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

terça-feira, 29 de março de 2011

Quer saber?

Falar de quê se o silêncio diz tudo???
Quer melhor resposta? Nem fabricando...
Mas eu já estive ali, naquele pedaço de vida em que a compreensão é algo do amanhã, de um amanhã pra lá de longinquo...
Eu já estive ali onde entender é surreal, onde todas as respostas exigem palavras, onde as perguntas não se esgotam...
E eu uso as reticências para você, para que tenha um espaço de conforto onde emudecer, onde aquietar a boca para enfim ouvir a alma...
Porque há de ser, embora ainda não percebas, na vastidão dos silêncios que as melhores respostas serão encontradas...
E porque estou mais repleta de dias, mais percorrida de vida, mais velha para alguns, mais sábia para outros, e mais eu para mim mesma, não lhe darei as respostas que residem em sua própria quietude.

2 comentários:

  1. Lindo, San! Uma coisa que tenho buscado muito é o silêncio. E como é difícil! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Gosto de me perder no silêncio para me encotrar!
    Acredito que só aprenderemos a lidar com o mundo e com o outro qdo lidarmos bem com nossa própria solidão.
    Beijos riqueza!

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.