Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ENTREVISTA DE EMPREGO

Coisa mais louca é essa entrevista de emprego. Em alguns locais, o candidato sai da entrevista meio que "abovinado". Fico pensando cá com meus elásticos (hoje não tenho nenhum botão pra pensar comigo), que só se o entrevistador for muito burro (com as devidas desculpas a esse valoroso animal) pra não perceber que está praticamente obrigando, pedindo mesmo "pelo amor de Deus", pro candidato mentir deslavadamente. Pensa comigo: por alguém procura um emprego num país capitalista, onde só está mesmo faltando cobrarem o ar que se respira? Onde os serviços públicos, na maioria das vezes, é inóquo? Ô!!! Meu amigo, se vc tiver uma empresa, seja ela de fundo de quintal, seja ela multinacional, está na hora de rever seus conceitos!!!
Primeira pergunta da entrevista: Por que voce deseja trabalhar aqui? Aí o candidato já entra no aparvalhamento, pensa, pensa, pensa e, invariavelmente vem com aquele papo de admirar a empresa, de ter chance de crescimento, etc, etc... Tradução pra vida real: eu quero trabalhar em qualquer lugar, vim aqui porque fiquei sabendo que estão contratando, preciso de emprego, tem vales transporte, refeição e supermercado, tem plano de saúde e mais o salário, e, como a lei é clara, aumento todo ano, melhor que o desemprego, melhor que o subemprego que tenho agora, e por aí vai...
Segunda pergunta: por que voce acredita que a empresa vai ganhar com sua contratação? É a morte!!! Quem foi que disse que eu acredito que a empresa vai ganhar com  minha contratação, quando "o buraco é mais embaixo?" A empresa oferece o trabalho, eu ofereço meu talento e, se não for suficiente é só me demitir, simples assim. Que culpa eu tenho se, em vez de testar minhas habilidades, o contratante quer "confete", se quer, antes dos finalmentes, auferir o grau do meu "puxa-saquismo"?  Trabalho é a forma que o ser humano encontra de garantir seu sustento, seu plano de saúde, educação melhor, alguma possibilidade de laser, sua moradia... Entrevistador que faz esse tipo de pergunta é muito tonto, muito ultrapassado e, se o mundo fosse outro, a resposta para a primeira pergunta seria: pensando bem, eu desejava trabalhar aqui, já não desejo mais, porque se a empresa necessita tanto assim de elogios, todos os meus talentos, a minha experiência profissional, as minhas formações acadêmicas, com certeza não serão necessárias. Mas, enquanto vivermos pela lei do mais forte, meu conselho é se esmerar na resposta, fazendo uma pesquisa sobre a empresa e vendo exatamente onde afagar o ego do entrevistador:  porque a empresa é defensora do meio ambiente, porque a empresa se preocupa em reservar vagas para deficientes, etc, etc. Na realidade, isso não deveria ser motivo de elogios, uma vez que, em princípio, toda e qualquer empresa não faz mais que a obrigação ao observar tais  preceitos. Entretanto, como já dizia minha avó: "se não puder com o mal, junte-se a ele"...

Comente

Postar um comentário

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.