Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

MINHA MÃE E OS DINOSSAUROS DE TABATINGA


Existe uma cidadezinha bem pequena, do interior de São Paulo, de onde veio minha mãe, chamada Tabatinga.
Essa cidadezinha é chamada de "a terra do bicho de pelúcia" e eu acredito que isso se deve a serem feitos muitos bichos de pelúcia lá. Particularmente, detesto os bichos de pelúcia. Mas adoro minha mãe, então, viva Tabatinga!!!! Estive nessa cidade uma única vez e posso atestar que é realmente pequena, existindo algumas matas nas redondezas...
Pois é, num almoço de familia, todo mundo comendo e a televisão ligada, falando sobre terem sido encontradas pegadas de dinossauros acho que lá pro norte ou nordeste do Brasil, não me lembro muito bem do local.
A sobrinhada toda impressionada com o tamanho das tais pegadas, falação geral, como acho que ocorre em toda familia, quando se reúne...
Aí é que entra minha grande mãe, figuraça essa!!!
Muito séria, até porque ela não é de muita brincadeira - o senso de humor dela é estranhérrimo, veio com um papo assim de que nas matas fechadas de Tabatinga, quando ela era criança (hoje tem 76 anos), haviam muitos dinossauros e que os lagos eram infestados de tubarões. Meu!!! Ninguém pode imaginar o festival de engasgadas naquela mesa!!!
E ela falava sério!!! Ficou muito ofendida quando o pessoal desatou a gargalhar, dizendo que eramos todos burros, que ela tinha vivido lá e sabia porque já tinha visto...
E eu conto isso, não para que riam de minha mãe não, apesar de ser impossível não rir, mas porque me pego pensando no privilégio que tenho.
Privilégio de ter a minha família completa, alí, disponível para mim o tempo todo, de gente que se gosta (o que não significa que concordemos uns com os outros).
Família é a maior loucura e, ainda assim, a melhor coisa que um sujeito pode ter. Até a falta de apoio é um incentivo.
Aí, você vai juntando pedaços do seu dia a dia, as bizarrices, as coisas sérias, o que é importante e o que não é e, como se confeccionasse uma grande colcha de retalhos, acaba tecendo sua própria história. Percebe que não está só, que estão contigo as melhores pessoas do mundo, porque te aceitam, te incluem, fazem piadas de você e, de quebra te admiram também, brigam por você na rua, na escola, te ajudam a tomar os maiores porres e choram tuas lágrimas. De vez em quando até te criticam, mas vai alguém de fora te criticar!!!
Para você ver como é que é: eu chego até a ter orgulho da minha mãe ter visto os dinossauros e os tubarões no laguinho de Tabatinga e experimente você achar que isso é mentira!!!

Comente

Postar um comentário

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.