Este local é, com certeza, dedicado aos 90% do meu cérebro que não tenho certeza de para que servem... Entre um cigarro e outro, entre o dia e a noite, nas beiradas de um talvez qualquer, fico gastando palavras, me espreguiçando nas frases, me escondendo entre as reticências...
Ao leitor deixo o agradecimento pelas palavras que eu não disse, mas que, ainda assim, acabaram por ser ouvidas...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

UM "EU" QUE ENFASTIA... NO MÍNIMO!!!!

Propositadamente, vou omitir, neste texto, a primeira pessoa do singular, por razões para lá de óbvias. É muito cansativo o que vem acontecendo nos dias atuais, já nem sei se isso é porque nunca prestei atenção antes ou se é porque, de repente, o mundo foi habitado por uma multidão de ególatras. Todo mundo, o tempo todo, é "eu isso",  "eu aquilo". Já não se pode dialogar decentemente porque é tanto "eu" em cada frase que a gente acaba deixando o assunto morrer antes de acabar tendo uma indigestão de "eus". Veja só, um programa de entrevistas, que antes lhe acenava com novos horizontes, uma vez que o entrevistado se via sempre obrigado a mostrar ao público uma certa inteligência, abrir o leque de suas muitas faces, o que nos dava uma noção, por exemplo, de uma profissão que não conhecíamos mais acuradamente ou, de repente, um estilo de vida (vegan, amish, celibatário, etc, etc, etc...) hoje se transformou em muitas horas de "eu penso que", "eu acredito que", "eu, eu, eu, eu...." Fala sério!!!! Será que essa gente pensa mesmo que estamos preocupados com o que pensam, acreditam, querem, sonham???? Será que realmente acreditam que, nós, o público, queremos perder nosso precioso tempo ouvindo sobre a intimidade, as relações amorosas, os desafetos, os silicones...???? Ando meio preocupada com essa vastidão de nada que as revistas, a televisão, os jornais, andam despejando, de bandeja, na porta dos cidadãos. E, neste pé ficamos: quem tem cabeça que pense e, quem não tem, que se promova, que se procure (é meio dificil se encontrar: quem nada tem, nada encontra), que se engaje nos big brothers da vida....
Meu!!!!! que fastio me causa saber tanto assim de você...
Me pergunto sempre se o vazio pode ser assim tão burro, tão desprovido de malícia... Pois é!!
Quanto mais o seu "eu" se esconder, tanto melhor... A magia está sempre no que desconhecemos, no que está oculto.... Pessoas, "eus" baratos, emergentes, vazios e enfadonhos, se façam mistério por favor.... Por gentileza, por caridade, por amor a si mesmos, deem espaço para que seus muitos "eus" sejam descobertos com vagar, com prazer, como a vida pede. Ser decifrado é parte do encanto que provocamos, sem isso, tudo é fastio e vaidade tola. É necessário ter em mente que "a mina que já explodiu não é temida, mas a que está oculta parece maior, pois maior é o efeito da imaginação que o dos sentidos."

2 comentários:

  1. San...
    Que delícia deparar com um espaço leve, solto e inteligente ainda que em construção uma vez que os links vazios e desprovidos de significados e significâncias abundam pela WEB.
    Parábens... Vou segui-la para acompanhar sempre que possível as novidades que você postar.
    Que a Luz Divina a esteja iluminando para que possas seguir iluminando a vida de todos aqueles que merecem e merecerem seu carinhoso, seu respeito e sua misericórdia.
    Um beijo respeitoso!
    Diógenes Lima
    Um Ator Social

    ResponderExcluir
  2. Ô Diógenes, que legal que você gostou deste espaço... Vai estar em construção sempre, porque são necessários tanto criticas quanto elogios, que na verdade são os tijolos e a argamassa a dimensionar essa criação. Meu coração me diz que não deve ter espaço delimitado, não deve ter travas nem entraves e minha mente considera, inquieta, que será uma construção infinitamente inacabada, porque há sempre mais alguém para dar um toque extra, para o bem ou para o mal. Seja bem vindo. E, em troca de seu beijo, receba meu abraço apertado e meu muito obrigada.

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário, pedindo apenas a cortesia de observar as regras de urbanidade e educação.